• Josely Chiarella

SEMINÁRIOS FLUIDIGM DE CITOMETRIA DE MASSA

A Progressa realizou na semana passada, com o suporte da Pensabio, uma série de seminários para introduzir no mercado brasileiro a tecnologia da citometria de massa. A tecnologia não é nova, já está na sua 3ª geração, mas o Brasil não conta ainda com nenhum sistema. Com essa tecnologia é possível determinar até 37 parâmetros (intra e extracelulares) quer seja em células em suspensão, utilizando o Helios, CYTOF® ou através do mais recente lançamento, o Hyperion™ Imaging System, que permite fazer as mesmas determinações do Helios, mas em cortes histológicos, congelados o FFPE.

Com suas massas moleculares bem definidas e o uso de anticorpos marcados com metais, a citometria de massa não tem a restrição como a citometria de fluxo, que utiliza os marcadores fluorescentes, que têm como limitação intrínseca a superposição das bandas espectrais.

O sistema já conta com um amplo portfólio de anticorpos marcados e também kits para marcar seus próprios anticorpos disponíveis nos laboratórios. Já os kits Maxpar ® agrupam anticorpos para determinados perfis imunológicos previamente selecionados.

Segundo o VP de proteômica da Fluidig, Gavin Gordon, “o Brasil agora está preparado para receber essa tecnologia e a Fluidigm está investindo nisso”. Os seminários foram realizados em Campinas, no LNBio, no Hemocentro de Ribeirão Preto, no ICB-USP, no Hospital Albert Einstein e no Incor e contou com a presença de alunos de pós-graduação, médicos e diversos pesquisadores.

Os seminários foram apresentados por Vinícius Motta, especialista em proteômica da Fluidigm. Ele é brasileiro, fez o mestrado no ICB-USP e consolidou sua carreira de pesquisador na McGill University em Toronto no Canáda estruturando uma “facility” de proteômica.

Para maiores informações: contato@progressa.com.br

44 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
+5511968631333